Rotina & Equilíbrio… é difícil conciliar? E integrar?

A dificuldade em conciliar e encontrar o equilíbrio entre os nossos diversos papeis na vida é, muitas vezes para a maioria de nós, um tema de conversa que acaba geralmente por ser finalizado com um longo suspiro, sinal de que esse desejado equilíbrio é visto como uma miragem muito difícil de ser alcançado.

O tema work-life balance, precisamente o equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal, tem ao longo dos últimos anos, despertado muito interesse porque refere-se a uma necessidade básica comum, que nos envolve durante um período longo da vida da maioria de nós.

Este mix de papeis contempla o nosso papel de sermos filhos e também de podermos ser pais, companheiros, trabalhadores, amigos, colegas, cidadãos participativos na comunidade e (muitas vezes em último) o importante papel de cuidarmos de nós próprios.

Conseguir conciliar as rotinas que digam respeito à nossa vida pessoal, familiar e profissional de uma forma saudável e equilibrada tornou-se, assim, num enorme desafio de grande exigência, não só em relação à disponibilidade de tempo mas de outras “disponibilidades” (financeira, atenção plena, etc…).

As últimas e mais recentes diretrizes europeias em relação a esta temática, no meu entender, deram um passo muito interessante. Começam agora a substituir o conceito de conciliação com o de integração, sensibilizando para o facto de que não somos partes que se devem ir encaixando e conciliando, e sim um ser inteiro que, naturalmente, tem diferentes compromissos e necessidades, conforme os diferentes papeis que vamos assumindo ao longo da vida.

As novas diretrizes alteram e enriquecem agora o discurso, relembrando que é preciso que as barreiras que a maioria dos colaboradores enfrentam sejam diluídas, de modo a que cada um se sinta respeitado como um ser inteiro: um profissional, que faz parte de uma família e que gosta de ter oportunidade de desenvolver conhecimentos técnicos e profissionais, assim como investir noutros interesses que lhe permitam manter a sanidade e o equilíbrio, sabendo-se que é um ciclo onde todos os papeis saem garantidamente beneficiados.

Portanto, para além de conciliar, é fundamental integrar.
Integrar, neste âmbito, vai significar Ser. Ser mais focado, mais motivado, mais produtivo, mais assertivo, mais feliz. Ser… humano.